15/08/09

A minha querida aldeia...

Penso que já mencionei algumas vezes que apesar de viver no distrito de Setúbal e trabalhar no de Lisboa, tenho raizes num dos mais belos distritos deste nosso querido país à beira mar plantado, o distrito de Viseu.
Sou de Castro Daire, uma bela vila situada entre Viseu e Lamego.
Quem quiser e precisar de uma bela massagem relaxante com sabor a cholocate ou um fantástico banho vichy, pode sempre parar nas Termas do Carvalhal.

A minha aldeia de seu nome Souto de Alva, pertence à Freguesia de Alva.

Deixo-vos aqui um pedaço da história da minha freguesia...

"Alva era um pequeno concelho medieval que pagava os seus impostos de acordo com as terras que lavravam por cada jugo de bois.
Desta forma, D. Manuel e o seu foral, no século XVII, determina que quem lavrasse com um jugo de bois deveria pagar seis quarteiros de pam meado, a saber: centeio e milho, quem lavrasse com uma vaca e um boi, um moyo e sesteiro, quem lavrasse com duas vacas, pagaria três quarteiros, quem tivesse apenas um animal e pedisse emprestado o outro também teriam de pagar a jugada; aqueles que lavrassem com bois alheios – pagariam segundo a quantidade de pão. O foral actualiza as suas medidas usadas para o pagamento e prevê isenções para os órfãos que herdassem terras incultas dos seus progenitores, penalizando aqueles que abandonassem as terras por desinteresse. O foral determina também a quantia a pagar pelo cultivo do vinho, criação de porcos (retirando-se a banha para pagar parte dos impostos), pela criação de galinhas e cultivo do linho.
No tempo de D. Afonso III quem construísse casa em Alva pagaria dois soldos, D. Manuel aumenta o imposto para dois reais e meio, contudo os lavradores dispunham de moutados e maninhos que usavam livremente segundo sempre esteveram e se conthem em huma sentençaa que sobre isso houveram em nossa Rellaçom do Juiz…
Em 1258, Alva já teria construído uma igreja na herdade do rei.
O padroado pertencia ao povo porque, possivelmente, foi feita às custas da população.
Mais tarde tudo passou para o padroado real e D. Afonso V doou-a a João Roiz Borges juntamente com as igrejas de S. Miguel de Mamouros e Santa Maria de Pepim.
De família em família estas terras foram pertencer a um Sousa de Santarém enquanto que o padroado permaneceu nos domínios do Conde de Alva.
O primitivo concelho de Alva, a quem pertencia as paróquias de Pepim e Mamouros, foi suprimido no século XIX integrando-se no concelho de Castro Daire."



Esta foto tirada do recinto das festas em honra de Nossa Senhora da Penha, tem como fundo a Serra de Montemuro.

Sem comentários:

Related Posts with Thumbnails